Arquivo da tag: Papa Emeritus II

O Papa do mau

Após uma semana em que o assunto foi o Papa Francisco, que deixou uma ótima impressão em sua passagem pelo Brasil e também causou (não por sua culpa) uma saturação na cobertura midiática, resolvi tirar da gaveta um post que já venho pensando e preparando há algumas semanas e nele consta um Papa, mas não é assim o “santo padre”. Pois no mundo da música existe um papa do mal, seu nome é Papa Emeritus II e a sua igreja é uma banda chamada Ghost B.C.

Assim como Francisco, o Papa Emeritus II fará sua primeira viagem ao Brasil neste ano de 2013 e visitará as cidades de São Paulo e Curitiba, mas o seu grande momento será no Rio de Janeiro, durante o Rock in Rio, em que acompanhará Iron Maiden e Slayer, bandas quase cristãs se comparadas ao Ghost e explico abaixo os motivos.

O tema de todas as músicas é um só: Lucifer, Satanás, Demônio, Belzebu, Diabo, o Coisa Ruim, o Capeta, o Sete Pele, o Mochila de Criança… Chame como quiser.

Pois o Ghost escancara cânticos de louvor ao chifrudo avermelhado e o faz de uma forma interessante, pois em alguns momentos você pensa estar ouvindo uma música Gospel, só que é exatamente o contrário. Não há guturais, bumbos duplos e tudo o que você ouviria no Black Metal. Aqui a voz é suave, o som em alguns momentos é um Doom Metal, mas em boa parte soa como um Hard Rock ou até um Pop Rock, com uma voz suave e introduções que parecem mesmo as músicas de um culto religioso. As melodias são fortes e você pode se pegar facilmente cantarolando e agradando ao capeta.

O primeiro grande barato do Ghost é que ninguém sabe quem são seus integrantes, uma jogada de marketing que não é nova na música. Você vai me lembrar que o Kiss fez isso e o Slipknot idem, sendo que em um momento eles tiveram suas identidades reveladas após serem chamados, no caso do Slipknot, por números e não por nomes. Mas no Ghost ninguém tem nome. O vocalista é o Papa Emeritus II (que no primeiro disco era Emeritus I) e os instrumentistas são todos chamados Nameless Ghouls. E nem as famílias dos integrantes sabem que eles fazem parte da banda supostamente formada na Suécia.

Ao entrar no site do Ghost, você vai se deparar com a aba “About” e quando clica vem a pegadinha, pois não há nenhuma informação, apenas uma página em preto. Os fãs vivem tentando desvendar quem seriam os integrantes, já chegaram a cogitar Dave Grohl, ex-baterista do Nirvana e vocalista/guitarrista/dono do Foo Fighters (banda inativa atualmente) como baterista do grupo. A verdade é que todos os nomes foram negados e assim será até que a banda resolva revelar a identidade. Em um de seus videoclipes, da música “Year Zero”, eles fazem uma brincadeira em que cinco mulheres seriam os integrantes por baixo da máscara e da capa preta que todos vestem.

E quando eu escrevi acima que o marketing do Ghost B.C. é forte, ele não se reserva apenas à música, pois os produtos licenciados da banda são extremamente exóticos. Além de um biquíni, um produto encontrados na lojinha online da banda é um rosário que tem a cruz substituída pelo logo da banda, que tem uma cruz invertida. Achou bizarro? Então veja a bíblia da banda e, principalmente, o que há dentro dela: objetos sexuais como um “consolo” no formato da cabeça do Papa Emeritus II e um “plug anal”, além de um certificado de divórcio para ser preenchido. Tudo isso dentro de uma bíblia!

Ghost-Phallos-Mortuus-Ritual-Box-Set-Phallus-620x565

E você aí achando que sua banda preferida trabalha bem o marketing vendendo camiseta e chaveiro…

No lado musical, O Ghost B.C. já lançou dois álbuns de estúdio. O primeiro, ainda usando apenas o nome Ghost (alterado por problemas judiciais nos Estados Unidos), foi Opus Eponymous, que teve todas as músicas lançadas de autoria de “A Ghoul Writer” em seu tracklist, além do cover de “Here Comes The Sun”, que aqui ficou mais sombrio e ganhou um nome extra (Lucifer Rising).

No segundo álbum, já como Ghost B.C. e com o Papa Emeritus II no vocal, o nome escolhido foi “Infestissumam” (“Hostil” em latim). Uma das músicas gravadas para o disco foi o cover de “I’m a Marionette”, do ABBA. A gravação contou com produção e participação de Dave Grohl na bateria, daí aquela ideia de alguns fãs de que ele seria um membro permanente da banda.

Sei que muitos podem não terminar de ler o post, podem ter odiado a banda. Mas uma coisa é certa, ninguém pode negar que o Papa Emeritus II e sua turma são carismáticos, bem humorados e sarcásticos, além de gostarem de covers, uma particularidade muito admirada por este blog.

O blogueiro aqui gostou do Ghost B.C. e ainda está tentando parar de cantarolar por aí as suas músicas…

Anúncios