Arquivo da tag: homenagem

auto-explicativo

Doutores na arte de homenagear ídolos

O Dr. Sin é uma banda que por muitas vezes cai no esquecimento do público em geral e sobrevive arduamenta pela garra dos integrantes, com os talentosos Eduardo Ardanuy (guitarrista), Andria Busic (baixo e vocais), Ivan Busic (bateria e vocais) e Rodrigo Simão (teclados), em um momento no qual as bandas nacionais estão apanhando até de bandas cover gringas na disputa por público.

Para quem não se lembra, eles gravaram uma música que virou até tema para o programa de rádio do locutor Silvio Luiz, chamada “Futebol, Mulher e Rock n’ Roll” (contando com a voz do próprio Silvio). Há alguns anos lançaram um álbum chamado Listen to the Doctors, com uma ótima lista de covers com “Doctor” no nome.

Mais recentemente veio a música chamada “Número 1”, em homenagem ao goleiro Rogério Ceni, uma vez que os três integrantes da banda são torcedores do São Paulo.

E o álbum mais recente da banda, conta com uma série de homenagens. O filme “Star Wars” e o Corpo de Bombeiros são alguns dos lembrados pelo trio em suas músicas. Mas a principal lembrança fica por conta de Ronnie James Dio, cantor morto em 2010, que ganhou uma música chamada “The King”.

Muitos músicos prestaram tributo ao Dio, então não seria nada demais se fosse apenas mais uma lembrança ao ídolo. Não é o caso com o Dr. Sin. A homenagem foi tão forte que alguns mais maldosos poderiam até dizer que eles fizeram plágio do ex-vocalista.

Começa com a introdução que lembra muito a de “Rainbow in the Dark”, do Dio. Depois vem o timbre vocal de Andria Busic e o “look out” tantas vezes cantado pelo ex-frontman do Black Sabbath e do Rainbow, entre outros.

Logo em seguida vem um riff bem característico de “Caught in the Middle”, os trechos na letra com “Every time there’s a rainbow” (referência clara á ex-banda e a um dos maiores sucessos de Dio), “Long Live Rock and Roll” (nome de outro clássico cantado por Dio), “Sacred Heart” (álbum de Dio lançado em 1985), além de nome e refrão com The King (“King of Rock and Roll” é mais um nome de clássico gravado pelo cantor).

O solo é bem fiel aos que foram executados em músicas cantadas por Dio, além do riff em seguida que é uma clara referência a “Heaven and Hell”, maior sucesso de Ronnie James Dio no Black Sabbath. Do começo ao fim, não dá para negar que se trata de uma homenagem ao cantor norte-americano, uma justa homenagem, aliás.

É curioso como o Dr. Sin consegue encaixar tantas referências ao homenageado na música, da mesma forma que impressiona a capacidade da banda em acumular tributos na carreira, o que é só para quem sabe fazer, pois já ouvi muita homenagem por aí que mais parecia uma afronta ao agraciado.

Anúncios

Um ano sem o mestre Ronnie James Dio

No dia 16 de maio de 2010, Ronald James Padavona, mais conhecido como Ronnie James Dio, perdia uma batalha contra um câncer no estômago e deixava o heavy metal, o rock e a música em geral orfãos de uma das melhores vozes de todos os tempos.

Dio representava não apenas um genial cantor, mas também um ser humano exemplar, com simpatia e autenticidade. Uma das maiores frustrações deste blogueiro foi ter perdido no ano anterior os shows que a banda Heaven & Hell (o Black Sabbath com outro nome) fez em São Paulo.

O norte-americano que assumiu o lugar de Ozzy Osbourne no Black Sabbath, uma banda inglesa, e ainda deixou suas marcas com o Elf, o Rainbow e a própria banda, DIO, foi responsável pela existência de ótimos vocalistas e, mesmo os ruins, como este que vos escreve, escutaram o baixinho antes de saírem cantando por aí. E mais, se você já fez o sinal dos ‘devil horns’ (chifres feito pelos fãs de metal), deve agradecer a ele, o inventor.

Poderia colocar uma das ótimas músicas compostas por Dio aqui neste blog, mas para não demorar muito na escolha (é difícil pegar uma só) decidi colocar um cover, símbolo deste blog. A versão abaixo é de uma música do Aerosmith chamada “Dream On”. lançada originalmente em 1973 no álbum Aerosmith, composta pelo carismático vocalista Steven Tyler.

Gosto do Aerosmith e da versão original, mas os fãs da banda terão de me desculpar, pois a versão gravada em 1999 por Ronnie James Dio ao lado do guitarrista virtuose sueco Yngwie Malmsteen é um daqueles raros casos em que o cover supera o original, a cópia supera a criação. Confira e tente discordar.