Arquivo da tag: axl rose

cantor norte-americano e líder da banda Guns N’ Roses

Aposenta, Axl Rose!

Uma apresentação acústica beneficente na Bridge School e vendida on-line por US$ 10 mostrou mais uma vez que ao mesmo tempo em que Slash mostra um dos momentos mais inspirados da carreira viajando o mundo com o vocalista Myles Kennedy, Axl Rose segue afundando cada vez mais o nome do Guns N’ Roses.

Axl Rose teve uma atuação terrível não apenas nos clássicos da banda. Ele teve dificuldades para segurar o rojão até mesmo em músicas do mais recente álbum Chinese Democracy, no caso “Better”.

“Patience”, “You’re Crazy”, “Used To Love Her”, “Sweet Child O’ Mine”, “Paradise City” e “Welcome To The Jungle” foram apresentadas em versões que poderiam ter ficado bem bacanas, não fosse o vocal medonho de Axl Rose. Em “Welcome to the Jungle” ele ainda consegue errar a letra de forma bisonha logo no começo. Confira abaixo enquanto não tiram do Youtube:

Sinceramente, dá pena!

Axl Rose joga a última pá de cal no Guns N’ Roses

O Guns N’ Roses morreu em 1996 e se esqueceram de sepultar o defunto. É isso o que Axl Rose acaba de confirmar essa semana ao jogar uma pá de cal sobre a banda que ajudou a construir e a destruir, agora se recusando a ir à cerimônia de entrada no Rock And Roll Hall of Fame sob o risco de ter que se juntar aos ex-amigos e hoje desafetos Slash, Duff McKagan, Izzy Stradlin e Steven Adler na festa para a execução de uma música.

É verdade que uma figura como Axl Rose jamais transmitiu humildade e não é o que se espera dele, mas o público que hoje comparece aos seus shows ao lado de músicos até talentosos que estão muito mais para “Axl e sua turma” do que o poderoso Guns N’ Roses do final da década de 80 e o início da década de 90, não vai lá para ouvir “Better”, “Chinese Democracy”, “Prostitute”, entre outras coisas recentes. Quem é fã de Guns N’ Roses ouviu músicas antigas e usou Slash como um exemplo de guitarrista.

Em certo ponto, Axl Rose até que dá uma contribuição ao Rock ao negar a homenagem. Pois o que se tornou o Guns N’ Roses está mais para Rock And Roll Hall of Shame. Já foi mostrado aqui neste blog que todos os ex-integrantes da banda californiana já demonstraram coisas boas em projetos paralelos, enquanto o vocalista que hoje não alcança metade das notas de 20 anos atrás levou 15 anos fazendo propaganda de um álbum que quando saiu torceu muitos narizes.

Daquele Guns N’ Roses que todos se acostumaram a ouvir, apenas os atrasos em shows e o desrespeito ao público permanece, diga-se, sempre ocorreram por parte do senhor William Axl Rose. Ok, a banda gravou grandes hits como “Welcome to the Jungle”, “Paradise City”, “Sweet Child ‘O Mine” e “Civil War”, além de ter regravado muito bem “Knockin’ On Heaven’s Door”, “Live And Let Die” e outras mais, e esse é todo o mérito daquela formação, daquele conjunto.

Os fãs esperaram desde a separação o dia em que a banda voltaria a tocar junta em sua formação clássica, Steven Adler queria, Slash também, Duff McKagan idem, assim como Izzy Stradlin, mas Axl Rose não quis. Será que ele ainda acha que vai vender mais discos e lotar estádios em shows com a sua banda atual e suas costumeiras desafinadas? É possível, assim como é bem provável que o público vire definitivamente as costas para a banda.

No fim das contas, a indicação do Guns N’ Roses para o Hall da Fama nada mais será do que a sepultura definitiva da banda. E, assim como tudo o que envolve Axl Rose, a última pá de cal chega com 15 anos de atraso. Resta prestar atenção aos versos cantados no vídeo abaixo e entender “a profecia”.

Guns N’ Roses é indicado ao Hall da Fama. Vem reunião aí?

O Guns N’ Roses teve confirmada nesta quarta-feira a sua indicação para o Hall da Fama do Rock and Roll ao lado do Red Hot Chili Peppers, do Small Faces, de Laura Nyro e dos Beastie Boys. (Sim, também não entendi a indicação dos dois últimos). E o que vem junto à novidade do Gn’R é a possibilidade de uma reunião da formação clássica.

Para quem não sabe, as bandas que são levadas ao Hall da Fama são convidadas a tocar na cerimônia e em muitos casos ocorrem as reuniões, pois quem entra para a lista sagrada são os músicos da principal formação, como não poderia deixar de ser.

Assim sendo, novamente veio a pergunta: Axl Rose vai baixar a cabeça e aceitar se juntar a Slash, Duff McKagan, Izzy Stradlin e Steven Adler para uma jam na festa? Pois não é tão improvável assim.

Axl Rose se aproximou de alguns ex-integrantes de sua banda nos últimos anos, tendo contato com Duff McKagan, Izzy Stradlin e até Steven Adler e a questão que fica é a relação conturbada do vocalista com o guitarrista Slash. Aquela demissão ao vivo na Mtv em 1996 ainda não foi bem digerida.

Mas as questões que faço são: será que Axl Rose está tão satisfeito assim com sua banda depois de ter levado 15 anos para lançar o medíocre álbum “Chinese Democracy”? Será que Slash não poderia fazer ao menos um show no lugar daquele monte de guitarristas que o substituem na banda atual?

O que ocorre hoje é que individualmente Slash tem seu talento muito mais reconhecido do que Axl Rose e isso certamente é um incômodo para o egocêntrico cantor que agora mais parece uma gralha, um cover mal feito de si mesmo.

Uma das últimas coisas que eu poderia esperar seria um ato de humildade de Axl Rose. Por outro lado, se levarmos em conta o que uma reunião poderia render ao dono da marca Guns N’ Roses, ele teria muito mais a ganhar do que a perder.

De todos os músicos que passaram pelo Gn’R nos anos 80 e 90, todos fizeram algum trabalho decente depois que deixaram a banda, enquanto o barrigudo é quem mais vive de passado.

Será que é bom para Axl Rose saber que o álbum solo de Slash, os trabalhos do Duff McKagan’s Loaded e até coisas gravadas pelo Velvet Revolver são muito melhores do que tudo o que ele se prestou a fazer nos últimos 16 anos? Acho que não. Confira as atividades abaixo:

Duff McKagan – baixista e backing vocals:

Izzy Stradlin – guitarrista base:

Steven Adler – baterista:

Slash – guitarrista:

Axl Rose – vocalista:

Sinceramente, pelo que os cinco fizeram desde então, Axl Rose é quem menos merece ir ao Hall da Fama!

Axl Rose transformou Guns N’ Roses em banda cover de luxo

O Guns N’ Roses pode ser considerado como uma das últimas grandes bandas do Rock And Roll legítimo, mas o Rock in Rio mostrou mais uma vez que Axl Rose e sua trupe estão piorando com o passar do tempo e a culpa é justamente do líder.

Axl Rose perdeu o voo que trouxe a banda ao Brasil, chegou ao Rock in Rio apenas na tarde do dia em que faria o show de encerramento do evento e subiu ao palco parecendo uma mistura do Leôncio (leão marinho do desenho Pica-Pau) e o Máscara (aquele interpretado por Jim Carey), devido ao chamativo casaco amarelo usado como uma capa contra a torrencial chuva na Cidade do Rock.

A promessa era um set list com mais de 30 músicas, o que foi anunciado posteriormente em programas de TV como se tivesse ocorrido, mas a lista foi bem reduzida. Ficaram de fora músicas como “My Michelle”, “Out ta Get Me”, “Madagascar”, “Whole Lotta Rosie” (do AC/DC), “Nice Boys”, “Used to Love Her”, “Oh My God” e “Think About You”, além de várias do famigerado álbum Chinese Democracy.

Ok, o Guns N’ Roses executou sucessos necessários para um bom show. Mas em alguns momentos foi possível ver Axl Rose fazendo uma mini-reunião para anunciar para a própria banda a próxima música do show. Isso fica nítido em “Nightrain”, em que o som vaza no microfone do vocalista e dono da banda.

Muitos fãs da fase clássica do grupo norte-americano criticam os músicos da fase atual, querem uma reunião com Slash, Duff McKagan e cia limitada, mas me parece que o problema atual do Guns N’ Roses não é em torno dos músicos, que tocam de forma competente, mas do próprio Axl Rose.

Pois é difícil admitir que muito cantor de banda cover cantaria algumas músicas melhor do que o atual Axl Rose, que consegue errar durante os próprios clássicos, como em “November Rain”, em que ele até improvisou um “it’s hard to hold a candle in the cold brazilian rain” no começo (já que o palco estava cheio d’água), mas depois de se atrapalhou todo na parte final da música enquanto cantava e tocava piano.

Dj Ashba, Ron “Bumblefoot” Thal e Richard Fortus fazem um bom trabalho nas guitarras. Dizzy Reed dá o ar da graça ao tocar no piano o clássico “Baba O’ Riley”, do The Who, além de Bumblefoot tocar o tema da Pantera Cor-de-Rosa em seu solo.

Até mesmo no solo de “Sweet Child O’ Mine” dá para deixar passar em branco o fato de não ter Slash, já que a execução de Bumblefoot é bem honesta. Mas em “Knockin’ On Heaven’s Door” bate a saudade da banda antiga. Se antes o Guns N’ Roses “tornou sua” a música composta por Bob Dylan, o novo formato apresentado não empolga.

Outro ponto ruim é que em alguns momentos do vídeo em que assisti do show na noite desta segunda-feira, Axl Rose parece contar com uma “ajuda” em seu vocal durante algumas músicas e não estou falando de backing vocals.

É ruim saber que você fez bem em dormir para cumprir corretamente suas tarefas no trabalho, ignorando o show de uma grande banda. É péssimo ver que o Guns N’ Roses de hoje está mais para uma banda cover e pior ainda é perceber que o maior defeito da banda atualmente é o próprio Axl Rose.

Talvez nem uma reunião com os membros da formação clássica (o que não deve acontecer, já que Axl não se mostra muito humilde para chamar de volta os ex-companheiros) seja capaz de salvar o que um dia esteve entre as maiores bandas do mundo.

Set list
Chinese Democracy
Welcome To The Jungle
It’s So Easy
Mr. Brownstone
Sorry
Solo Richard Fortus
Live and Let Die
Rocket Queen
This I Love
Solo DJ Ashba
Sweet Child O’ Mine
Estranged
Better
Solo de Dizzy Reed/”Baba O’Riley” (The Who)
Street Of Dreams
You Could Be Mine
“Sunday Bloody Sunday” (U2)
“November Rain”
Solo de Ron “Bumblefoot” Thal/tema de Pantera Cor-de-Rosa
Knockin’ On Heaven’s Door
Night Train

Bis
Patience
Paradise City