Rock vivo e com muita raça: o show que eu não vi

Muitos não devem se lembrar, mas no dia 24 de fevereiro de 2000, o Foo Fighters realizaria seu primeiro show em solo brasileiro e seria na cidade de São Paulo, no então recém-aberto Credicard Hall.

A banda havia acabado de deixar de ser um trio com a entrada do guitarrista Chris Shiflett, mas devido à morte do pai do estreante da banda houve o adiamento do show, que depois virou oficialmente o cancelamento, em caso que rendeu até uma certa polêmica em relação à casa, que demorou a admitir o cancelamento e a devolução do valor pago pelos ingressos.

O Foo Fighters vivia um grande momento com o lançamento de “There Is Nothing Left to Lose” e o sucesso dos videoclipes de “Learn to Fly”, “Breakout”, “Generator” e “Next Year”. Logo no ano seguinte houve o Rock in Rio 3 e a banda visitou o Brasil pela primeira vez, mas nada de tocar em São Paulo.

A espera foi grande. Como o próprio Dave Grohl declarou durante o show de sábado no Lollapalooza, 17 anos se passaram desde o início da banda. Fãs ansiosos, venda de ingressos a todo vapor e um momento em que o Foo Fighters é a grande banda de Rock. Tinha tudo para dar certo.

De repente um cisto ameaça a voz de Dave Grohl, shows são cancelados, mas em São Paulo a banda se esforça e o que era a preocupação de muitos se transformou em um grande show. Eu não assisti. Acabei tendo de vender meu ingresso por não haver percebido antes que a data coincidia com a do confronto entre Brasil e Colômbia na Copa Davis e o assessor de imprensa da CBT não poderia dar o cano no nosso principal evento de tênis.

Eis que o show foi transmitido pelo Multishow e algum fã me fez o favor de postar no YouTube. Não vou entrar no mérito de quesitos técnicos, pois seria injusto por não ter ouvido o som original e pela qualidade discutível da gravação. É perceptível que a voz do líder do Foo Fighters sai para passear em alguns momentos, mas a banda não se afeta e mantém a garra até o final.

A apresentação passou por todas as fases na carreira da banda, teve grandes momentos com “The Pretender” somada de alguns trechos de “Custard Pie”, do Led Zeppelin, e sucessos da banda como “Breakout”, “Learn to Fly”, “Long Road to Ruin”, “Best of You”, a dobradinha “Bad Reputation” e “I Love Rock and Roll”, ambas com Joan Jett, e a finalização com “Everlong”. Não poderia ser melhor.

O show do Foo Fighters me faz lembrar daquele time que tem vários problemas e ainda assim dá o sangue para sair de campo vencedor, me lembra daquele tenista que na sexta-feira se viu à beira da decepção e se elevou ao status de herói. É óbvio que qualquer comparação pode soar indevida, mas é sempre bom saber que aqueles que te tiraram de casa para ver algo mostram que valeu a pena.

Li relatos de Thays Almendra sobre problemas de segurança, transporte e outros pontos de desorganização do Lollapalooza, o que infelizmente é uma tradição nos festivais de música que são organizados por aqui. É curioso que uma cidade como São Paulo, que tem tudo aberto 24h, não tem transporte público a partir de 0h30, por exemplo, assim como é lamentável saber que milhares de policiais são deslocados para proteger torcidas organizadas de futebol, mas nem metade disso faz a segurança de um evento com milhares de pessoas que vão para se divertir e se tornam vítimas da insegurança paulistana.

Para quem não viu o show, acredito que não vai levar muito tempo para ter uma reprise no Multishow. Caso a qualidade de som e imagem não seja um problema para você, o YouTube oferece algumas opções. Em todo caso, veja a set list da banda que dá tapa na cara de quem adora dizer que “o Rock está morto” ou que “os Arctic Monkeys da vida são a salvação do Rock”.

1. All My Life [One by One – 2002]
2. Times Like These [One by One – 2002]
3. Rope [Wasting Light – 2011]
4. The Pretender (com interlúdio de “Custard Pie”, do Led Zeppelin)  [Echoes, Silence, Patience & Grace – 2007]
5. My Hero [The Colour and the Shape – 1997]
6. Learn to Fly [There Is Nothing Left to Lose – 1999]
7. White Limo [Wasting Light – 2011]
8. Arlandria [Wasting Light – 2011]
9. Breakout [There Is Nothing Left to Lose – 1999]
10. Cold Day in the Sun (com Dave Grohl na bateria e Taylor Hawkins nos vocais)  [In Your Honor – 2005]
11. Long Road to Ruin [Echoes, Silence, Patience & Grace – 2007]
12. Big Me [Foo Fighters – 1995]
13. Stacked Actors [There Is Nothing Left to Lose – 1999]
14. Walk [Wasting Light – 2011]
15. Generator [There Is Nothing Left to Lose – 1999]
16. Monkey Wrench [The Colour and the Shape – 1997]
17. Hey, Johnny Park! [The Colour and the Shape – 1997]
18. This is a Call [Foo Fighters – 1995]
19. In The Flesh (Cover do Pink Floyd)
20. Best of You [In Your Honor – 2005]
Bis
21. Enough Space [The Colour and the Shape – 1997]
22. For All the Cows [Foo Fighters – 1995]
23. Dear Rosemary [Wasting Light – 2011]
24. Bad Reputation (Cover de Joan Jett and the Blackhearts, com Joan Jett)
25. I Love Rock ‘n’ Roll (Cover de The Arrows, com Joan Jett)
26. Everlong [The Colour and the Shape – 1997]

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.